Aumentar tamanho da letra  Reverter ao tamanho original Diminuir tamanho da letra  english español

Aminoácidos

Por: Manuela Musitano

É incrível pensar que, basicamente, 20 aminoácidos combinados fazem o corpo humano funcionar. Mas é isso mesmo. Aminoácidos são a fonte da formação da proteína, ou seja, pequenas moléculas que unidas ajudam a manter a estrutura do nosso corpo e também atuam na construção e bom funcionamento de nossos órgãos. Além disso, muitos aminoácidos podem ser consumidos como fonte de energia como, por exemplo, em situações de inanição.  Mas nem todos os aminoácidos são produzidos pela gente.

Os oito aminoácidos que o corpo não fabrica são chamados de essenciais, porque de qualquer forma, o corpo precisa deles para se sustentar. A partir de uma dieta rica em carnes ou derivados do leite, como o queijo, é possível absorver os aminoácidos que nos faltam. Os vegetarianos, que possuem uma dieta alimentar sem proteínas, podem obter estes aminoácidos com uma dieta equilibrada, consumindo leguminosas que melhor oferecem quantidades deles na sua formação.

Como muitos aminoácidos são responsáveis pela construção e manutenção da estrutura muscular, alguns tiveram suas fórmulas sintetizadas em compostos consumidos por atletas ou praticantes de atividade física regular. Exemplos desses aminoácidos são Valina, Leucina e Isoleucina, responsáveis pela melhora na sensação de fadiga e cansaço do corpo. O uso dessas substâncias precisa ser supervisionado por especialistas, já que a fórmula possui uma quantidade muito mais concentrada de aminoácidos do que a encontrada nos alimentos.

Dentre os aminoácidos que podem ser consumidos através de alimentos, está a Lisina. Além de trabalhar na restauração de tecidos, ela também atua na produção de hormônios e anticorpos. Neste grupo temos ainda o Triptofano, um aminoácido que ajuda na formação do neurotransmissor serotonina; e a Metionina, cuja ausência pode fazer com que a urina não seja processada pelo organismo, causando inchaço no indivíduo. Ainda existem a Treonina, que age no suplemento de cereais, e Fenilalanina, que funciona como aminoácido curinga, que formando outros aminoácidos a partir dele.

Com as mais de trilhões de possibilidades de combinação, os aminoácidos configuram cerca de 20% do peso do nosso corpo, já em forma de proteína. Os recém-nascidos, que ainda não possuem uma dieta alimentar normal, tiram do leite materno todos os aminoácidos essenciais que precisam para seu crescimento e desenvolvimento. A maior concentração deles é a Glutamina, ou Ácido Glutâmico, importante no metabolismo e como neurotransmissor. Pode-se dizer também que a Glutamina alimenta as células responsáveis pela defesa do organismo.

O primeiro aminoácido conhecido foi a Asparagina, extraído do aspargo, ainda em 1806, na França. Em seguida, vieram os outros 19 aminoácidos restantes, que conhecemos hoje em dia. Uma das composições mais simples é a Glicina, pois só tem uma ligação com uma molécula de hidrogênio. Quando convertida em outras substâncias, ela possui a função de inibir nossa vontade de comer alguma coisa doce e pode estar presente na configuração dos músculos, auxiliando na contração muscular.

Presentes na formação e regulação de enzimas (substâncias de origem protéica), os aminoácidos Serina e Alanina são aminoácidos produzidos pelo corpo, mas que podem ser consumidos a partir de compostos farmacêuticos sob orientação de especialistas. Outros aminoácidos também atuam em regulagens importantes do nosso corpo, como é o caso da Tirosina, que entra na composição dos hormônios Triiodotironina e Tiroxina, produzidos na tireóide, que controlam a velocidade de crescimento do corpo. Ligado também ao crescimento está o aminoácido Arginina, que age no sistema imunológico e no aumento das doses naturais de hormônio do crescimento.

Funcionando principalmente como fator energético do corpo, um aminoácido se destaca: o Ácido Aspártico. Ele fornece energia de um modo geral para o corpo, com uma diferença, é uma fonte de energia de rápida atuação. Encontrada na hemoglobina, a Histidina corresponde a 3% dos aminoácidos no organismo. Também encontrada no leite materno, a Cisteína foi descoberta no isolamento em cálculos renais. Por fim, o aminoácido Prolina, que é o principal componente do colágeno, importante formador dos tecidos em geral.

Pronto, você já foi apresentado aos aminoácidos. Descobriu que eles são parte integrante das proteínas que formam nossa estrutura corporal, nossos órgãos internos, músculos e pele. Soube também que quase metade dos aminoácidos que precisamos precisa vir de uma dieta rica em carnes e derivados do leite, inclusive o materno! Além disso, o corpo pode receber uma ajudinha na produção dos aminoácidos com compostos sintetizados e ingeridos sob prescrição médica. Agora você já sabe como é importante ter uma alimentação saudável para manter toda a produção do nosso corpo funcionando!

Fontes de imagens: http://correiogourmand.com.br/info_glossario_produtos_alimentos_leite_e_derivados.htm, http://www.itatiba.sp.gov.br/imprensaoficial/noticias/descricao/2767

Consultora: Mariana Musitano - Nutricionista

 

versão para impressão: versão para impressão