Aumentar tamanho da letra  Reverter ao tamanho original Diminuir tamanho da letra  english español

O melhor amigo do homem

Por: Bruno Delecave

 Bulldogue. Foto: Wikipedia.

Bulldogue. Foto: Wikipedia.

Você já deve ter ouvido que o cachorro é o melhor amigo do homem. Esses inteligentes e afetuosos animais vêm acompanhando a humanidade há milhares de anos, e sua própria existência parece estar intimamente ligada ao ser humano.

O cão (canis lupus familiaris) é um mamífero pertencente à família dos canídeos, da qual também fazem parte lobos, raposas e chacais, entre outros. É provavelmente o animal domesticado há mais tempo pelo homem.

Origem cinzenta

Cientistas, baseados em estudos e datação de fósseis, acreditam que o cãoseja um descendente direto do lobo cinzento. Mas há outras teorias defendendo que ele resulte do cruzamento entre lobos e alguma espécie de chacal.

 Lobo cinzento. Foto: Wikipedia.

Lobo cinzento. Foto: Wikipedia.

Entretanto, estudos de DNA sugerem que todos os cães do mundo descendem de alguns lobos cinzentos ( Canis lupus) domesticados há pelo menos 15 mil anos, na Ásia ou no Oriente Médio. Estes animais teriam sido selecionados artificialmente através de gerações, até formarem uma nova subespécie - Canis lupus familiaris. Assim, o lobo – um predador agressivo – teria dado lugar a animais dóceis e obedientes – os cães .

Com o tempo, os cachorros passaram a desempenhar várias funções úteis para o ser humano: ajudar na caça de animais, avisar sobre a presença de predadores, proteger e pastorear rebanhos. Em troca,recebia alimento e companhia.A partir do Oriente, os cães foram se espalhando pelo mundo. Quando o ser humano migrou para as Américas, levou seu companheiro canino junto. Isso explica por que todas as raças de cachorros fazem parte da mesma espécie, apesar de terem formas, aparências e tamanhos tão diferentes.

Seleção artificial

 Chihuahuas. Foto: Miklosz.

Chihuahuas. Foto: Miklosz.

As características encontradas nas mais diversas raças de cães foram selecionadas por criadores, através de um processo conhecido como seleção artificial. Geração após geração, escolhia-se os indivíduos que apresentassem uma ou mais características desejadas – tais como tamanho, cor ou personalidade.

Desta forma, os genes responsáveis pela característica se tornavam mais freqüentes. Assim, foi possível criar raças menores, como o Chihuahua, mais agressivas, como o Pit Bull, ou melhores para o trabalho, tal qual o Border Collie.

Entretanto, junto com os genes desejados, outros traços indesejados também acabam sendo transmitidos para os descendentes, como tendência para surdez, miopia ou doença de pele. Além disso, ao criar diferentes raças, o homem gerou características extremas que podem atrapalhar a vida dos cães. Um bom exemplo é o Buldogue, cujos problemas respiratórios são causados por seu focinho achatado. Por outro lado, os Border Collies sofrem com a hiperatividade.

 Border Collie. Foto: Wikipedia.

Border Collie. Foto: Wikipedia.

A seleção artificial nos cães demonstra o grau de domínio que o ser humano é capaz de exercer sobre a natureza. Se apenas através de cruzamento foi possível criar tantas raças, com o auxílio de engenharia genética, seria possível criar outras ainda mais especializadas. Apesar de nenhuma raça ter sido criada em laboratório, cientistas já estão dando os primeiros passos nessa direção. Se você fosse criar uma nova raça de cachorro, como ela seria?

Saiba mais:

Os canídeos

Cachorro-quente das cavernas

Ruppy, uma cadela com luz própria

Obediência canina

versão para impressão: versão para impressão