Aumentar tamanho da letra  Reverter ao tamanho original Diminuir tamanho da letra  english español

Vilã ou mocinha? Entenda a radioatividade

Por: Irene Cavaliere

Ilustração: Renan Alves.

Ilustração: Renan Alves.

Produção de energia, armas, medicina, agricultura, geologia, bananas e água mineral... O que tudo isso tem em comum? Acertou quem respondeu: Radioatividade.

A radioatividade é um fenômeno natural que está diretamente ligado ao núcleo do átomo –  é por isso que se diz energia nuclear, bomba nuclear, medicina nuclear. Quer entender um pouquinho mais sobre esse assunto complicado?

Como você já deve ter estudado em Química, os elementos químicos são formados de prótons, nêutrons e elétrons. Cada elemento tem em seu núcleo um número específico de prótons, mas o número de nêutrons pode variar: quando isso acontece, os átomos são chamados de isótopos de um mesmo elemento. É aí que começa essa história. 

Para determinadas combinações de nêutrons e prótons, o núcleo é estável – nesse caso, são chamados isótopos estáveis. Para outras combinações, o núcleo é instável, pois possui excesso de energia. Para atingir a estabilidade, esse núcleo emite radiação na forma de ondas eletromagnéticas (radiação gama) ou de partículas (radiação alfa ou beta), num processo chamado de decaimento radioativo.

Esquema: Apostila CNEN.

Esquema: Apostila CNEN.

Essas radiações nucleares podem ter diversas propriedades, como deixar marcas em placas fotográficas, ionizar gases, produzir fluorescência, serem absorvidas ou atravessar a matéria. As reações nucleares produzem energia - muita energia!

Usos

1. Acelerador linear de partículas.

1. Acelerador linear de partículas.

Com isso, vários usos foram se estabelecendo, para o bem e para o mal. Diagnóstico e tratamento de doenças, melhoria nas técnicas de cultivo de alimentos, pesquisas científicas e geológicas foram possibilitadas pelo uso da radioatividade. Mas também foram criadas bombas nucleares que destruíram cidades inteiras e até hoje são motivo de tensão entre países. Além disso, a utilização e descarte inapropriado de material radioativo e acidentes em usinas nucleares já fizeram muitas vítimas.

Mas a radioatividade também é encontrada onde a gente menos imagina. Você sabia que bananas, batatas, plantas, rochas e até água mineral possuem radioatividade? Isso porque apresentam naturalmente em sua composição isótopos radioativos de alguns elementos. As bananas, por exemplo, possuem uma pequena porcentagem do isótopo potássio-40, assim como as batatas. As plantas possuem o isótopo carbono-14, o mesmo que é usado para determinar a idade de fósseis e achados arqueológicos. Nas rochas, encontramos urânio-238, urânio-235, tório-232, rádio-226 e rádio-228. Alguns tipos de água mineral possuem radônio em dissolução, um gás totalmente natural que se forma durante o decaimento do urânio-238.

2. Água mineral.

2. Água mineral.

Porém, não se assuste! As emissões radioativas desses produtos são muito baixas e não fazem mal à nossa saúde. E mesmo que você seja um grande devorador de bananas: a dose de potássio no seu corpo será praticamente constante, porque temos mecanismos naturais de eliminação do excesso.

Foto 1: O acelerador linear de partículas é usado na radioterapia contra o câncer e na radiografia de alta potência. Foto de Mateus Pereira/Agecom. 

Foto 2: Água mineral radioativa - Fonte Bom Jardim. Foto retirada do site http://bellaminas.com.br/nossagua.php.

E a energia nuclear, como funciona? Leia A energia que vem dos átomos .

Consultoria científica:
Luís Victorino – Museu da Vida

Quer desvendar os segredos da química? Visite a nossa exposição! http://www.museudavida.fiocruz.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=mvida&infoid=1566&sid=22

Para saber mais:
Macaulay, David. The new way things work. Boston: Houghton Mifflin Co., 1998. Pp. 164-173.
http://www.cnen.gov.br/ensino/apostilas/radio.pdf

versão para impressão: versão para impressão