Aumentar tamanho da letra  Reverter ao tamanho original Diminuir tamanho da letra  english español

Bafo de onça...E agora?

Por: Amanda Gonçalves Feitor

Foto:rachel a. k./Flickr

Foto:rachel a. k./Flickr

Você chega numa festa,achando que vai beijar aquele gato e quando ele chega perto...Xiiiii! Você sente aquele cheirinho ruim da boca e o famoso mau hálito (halitose) estraga o grande momento.

Há várias causas para a halitose, mas em mais de 90% dos casos, a origem é na cavidade bucal. Mas se você sofre de halitose, não fique triste. Cuidados diários de higiene e algumas mudanças na alimentação podem resolver de vez esse problema, motivo de zoação e vergonha em qualquer idade.

Escovação correta

A higiene bucal inadequada é uma das principais causas da halitose, segundo o dentista Fernando D’Oliveira Matozinhos. Ela causa acúmulo de tártaro (restos de alimentos calcificados) e placas bacterianas, provocando sangramentos e inflamações na gengiva e na área periodontal (entorno dos dentes) e saburra lingual. Restaurações desadaptadas e grandes cáries, que acumulam alimentos, também causam mau hálito.

Para prevenir o mau hálito, recomenda uma boa higiene bucal, com escovação correta, limpeza da língua, uso do fio dental e de enxaguatório bucal sem álcool, bem como a visita freqüente ao dentista.

Ao contrário do que muitos pensam, problemas no estômago não costumam interferir no hálito. Essa crença se origina do fato de que o jejum prolongado pode causar halitose. Contudo o gastroenterologista João Soares ressalta que algumas doenças do trato digestivo estão associadas ao mau hálito, como a doença do refluxo, divertículos no esôfago, megaesôfago, gastroparesia e estenose pilórica.

A baixa produção de saliva, estresse, problemas nas vias aéreas e nas amígdalas e prisão de ventre acentuada também podem causar halitose.

Alimentação saudável

Foto:Gergerger7.xchng

Foto:Gergerger7.xchng

Todo mundo sabe que alguns alimentos causam mau hálito, como o alho, a cebola, a pimenta, rabanete, picles, repolho, couve, brócolis, bem como alimentos gordurosos, como queijo amarelo.

Contudo, a nutricionista Cristiane Almeida alerta sobre duas atitudes que estão diretamente relacionadas à halitose: beber menos de um litro de água por dia (baixa ingestão hídrica) e ficar mais de três horas sem comer (jejum prolongado).

Para ela é importante uma dieta saudável, ingerir pequenas refeições a cada três horas e beber bastante água. Alimentos fibrosos e crus, como a maçã, a pêra e o pepino, estimulam a mastigação e podem ajudar na limpeza dos dentes.

Consultoria:

Fernando D’Oliveira Matozinhos

João Soares (IPEC/Fiocruz)

Cristiane Almeida (IPEC/Fiocruz)

Veja também

Associação Brasileira de Halitose
 

versão para impressão: versão para impressão