Publicada em: 06/04/2014 às 00:00
História


Evolução dos mosquitos
invivo

Os mosquitos surgiram provavelmente no Jurássico, período em que os dinossauros dominavam a Terra e as florestas tropicais eram mais quentes. Eles são dípteros, ou seja, insetos que possuem um par de asas, como as moscas, mas sua característica principal é que as fêmeas têm as peças bucais alongadas, adaptadas para picar e sugar o sangue de animais vertebrados. O primeiro fóssil conhecido de mosquito data do período Cretáceo, tendo de 90 a 100 milhões de anos de idade. Ele pertence à espécie Burmaculex antiquus, era uma fêmea e foi descoberto em Myanmar (antiga Birmânia) em 1999, dentro de um âmbar fossilizado.

De acordo com estudos recentes sobre evolução, o Aedes (Stegomya) aegypti teria surgido na África e de lá se espalhado por todo o globo. No Brasil diversos estudos apontam para a existência de dois grupos diferentes de Ae. aegypti, um deles relacionado aos mosquitos do oeste da África e outro aos mosquitos encontrados hoje no Quênia, leste da África, introduzidos no país em diversas levas, antes e depois dos programas de erradicação que aconteceram nas Américas. Isso nos mostra, mais uma vez, que o Aedes é um mosquito exótico, ou seja, ele não é originário daqui e chegou ao Brasil junto com o tráfico de escravos no século XVI, que trazia pessoas do Benin, da Costa do Marfim, de Angola e outros países daquele continente.


Museu da Vida - Casa de Oswaldo Cruz - Fiocruz
Apoio: CNPq