Aumentar tamanho da letra  Reverter ao tamanho original Diminuir tamanho da letra  english español

O Mico no Campus da Fiocruz

Por: Francisco Luiz C. da Silva & Ellen Pombal

Foto: Miguel Oliveira

Foto: Miguel Oliveira

Você já deve estar pensando que aconteceu uma situação embaraçosa ou vexatória na Fiocruz, pois é, mas você se enganou.  O tema se refere a um bando de macaquinhos, conhecidos por sagui-de-tufos-brancos, que está rondando as árvores por aqui.

O nome científico desse macaco é Callithrix jacchus e vivia restrito ao Nordeste. Devido à ação de traficantes de animais silvestres, o mico foi levado para outras regiões e adaptou-se bem à mata atlântica. Contudo, sua presença pode pôr em risco espécies nativas, pois acaba competindo por alimento e locais para a reprodução.

Medem um pouco mais de trinta centímetros sem a cauda (a cauda mede trinta e cinco centímetros), geralmente formam bandos de três a doze indivíduos e se alimentam de insetos, goma de árvores e frutos.  A gestação varia de cento e quarenta a cento e cinquenta dias e normalmente nasce de um a três filhotes.  A maturidade sexual varia entre os sexos: a do macho é de nove a treze meses e a da fêmea é de vinte a vinte e quatro meses.  A expectativa de vida na natureza é de dez anos e em cativeiro de dezesseis anos. 

São monogâmicos e há um par dominante que apresenta interações agressivas através de sons.  Passeando pelo campus da Fiocruz é possível localizá-los através de um assobio bastante agudo.  É só prestar bastante atenção.  Boa sorte!!!

versão para impressão: versão para impressão