Aumentar tamanho da letra  Reverter ao tamanho original Diminuir tamanho da letra  english español

As confusões do Louro

Por: Maria Ramos

Zé Carioca. Imagem: Disney

Zé Carioca. Imagem: Disney

Por causa da tagarelice, os papagaios, também chamados de louro, vez por outra, estão metidos em confusões. Alguns aprendem palavrões causando escândalo. Outros acordam os vizinhos ainda muito cedo, repetindo, sem parar, frases que tenham ouvido de seus donos, como “Acorda, Ana!”.

Casos de pessoas que descobriram a traição dos seus parceiros, graças ao seu papagaio, já foram até notícias nos jornais. Há algum tempo, um programador de computador descobriu que sua namorada tinha um amante, porque seu papagaio não parava de repetir “Eu te amo, Gary!”.

Desbocado, dedo-duro ou amigo do peito, os papagaios são realmente muito espertos e considerados uma das aves mais inteligentes do mundo. A sua fama deve-se principalmente à beleza das cores das suas penas e à capacidade de imitar a voz humana, sons de outros pássaros, de alguns animais, e mesmo som de objetos. Essa habilidade, muito rara entre as aves, faz com que os papagaios sejam muito procurados como animais de estimação.

No Brasil, especialmente, o papagaio é uma ave muito popular. A sua importância na cultura nacional é tão evidente que serviu de inspiração a Walt Disney para um personagem de desenho animado. Talvez você já tenha ouvido falar de Zé Carioca, o típico malandro brasileiro, astuto e irreverente como todo bom papagaio. Zé apareceu pela primeira vez no cinema, em 1942, e permanece até hoje nas revistas de histórias em quadrinhos. A criação do personagem foi uma estratégia americana para conquistar a simpatia dos povos latinos,já que, na época, os Estados Unidos buscavam aliados para a Segunda Guerra Mundial.

Mas embora estejamos acostumados a ver o papagaio como uma ave de estimação, ele é um animal silvestre. E as consequências de retirá-lo do seu habitat natural são muitas.

Fala: sinal de alegria ou estresse?

Papagaio-verdadeiro. Wikipedia

Papagaio-verdadeiro. Wikipedia

Apesar de alguns papagaios possuírem habilidade para imitar outros sons, eles não o fazem em seu ambiente natural. Jacques Vielliard, especialista em canto de aves, defende que os papagaios criados em cativeiros passam a imitar os sons do ambiente em que se encontram como uma forma de compensar o estresse ocasionado pelo isolamento.

O estresse ocorre, segundo o pesquisador, mesmo que o animal seja bem tratado pelo dono. O simples fato de ele ser privado do convívio com outros da mesma espécie já é motivo de estresse, visto que, na natureza, essas aves vivem em bandos.

Ao contrário também do que muitas pessoas acreditam, somente algumas espécies de papagaios possuem habilidade de imitar a fala humana. O melhor falador, dentre as espécies brasileiras, é o papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva). Mas de todo modo, a habilidade depende da capacidade individual da ave, e pode demorar vários anos até que ela repita palavras e frases ditas pelo dono. Nem todos os papagaios se tornam bons imitadores e, por isso, muitos, infelizmente, acabam sendo desprezados pelos seus donos.

A habilidade de reproduzir a nossa fala está ligada à capacidade que algumas espécies de papagaios possuem de emitir sons semelhantes à voz humana, o que facilita a imitação. A maioria das aves emite apenas sons puros, como os sons de uma flauta, que produz uma nota de cada vez. Já alguns papagaios, da mesma forma que o homem, são capazes de emitir sons harmônicos, que são feixes de sons combinados, como os acordes de um violão.

,/p>

Veja ainda:

Terra dos Papagaios

S.O.S. Araras do Brasil

Fontes de informação

Sick, Helmut. Ornitologia Brasileira. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997.

Nova Enciclopédia Barsa. São Paulo: Encyclopaedia Britannica do Brasil, 1997.

Ciência Hoje das Crianças

Saúde Animal

versão para impressão: versão para impressão