Aumentar tamanho da letra  Reverter ao tamanho original Diminuir tamanho da letra  english español

Para ver melhor

Por: Juliana Rocha

SXC Banco de Imagens

SXC Banco de Imagens

Já parou para pensar como são formadas as imagens? Ou como funciona nosso sistema visual? Tudo o que enxergamos é fruto da tradução, feita pelo cérebro, dos estímulos luminosos que atingem os nossos olhos.

Ao ultrapassar a córnea e entrar pela pupila, a luz alcança o cristalino, projetando-se sobre a retina. Córnea, pupila, cristalino e retina são alguns dos elementos que compõem nosso sistema visual.

Aquela bolinha preta bem no meio da parte colorida do olho é a pupila: ao aumentar ou diminuir de tamanho, essa abertura na íris controla a entrada de luz. A córnea e o cristalino funcionam como lentes, desviando os raios luminosos em direção à retina. Já a retina é a superfície sobre a qual as imagens são formadas: nela existem células fotossensíveis capazes de reconhecer cores e movimentos e transformar as impressões causadas pela luz em impulsos eletroquímicos. À retina está ligado o nervo óptico, responsável por transportar os impulsos eletroquímicos para o cérebro, que interpretará a informação visual.

Para termos uma visão nítida, esse sofisticado sistema precisa funcionar de modo a focalizar a imagem sobre a retina. Quando essa regulagem, conhecida como acomodação, não acontece, temos dificuldade para enxergar.

Esquema elaborado a partir de original INPE.

Esquema elaborado a partir de original INPE.

As insuficiências visuais mais comuns são a miopia, a hipermetropia, o astigmatismo e a presbiopia.

Na miopia, o crescimento exagerado do globo ocular ou a pouca curvatura da córnea impedem a focalização da imagem sobre a retina. Já na hipermetropia, as imagens ficam desfocadas por ser o olho demasiado curto.

Uma deformação na córnea leva ao astigmatismo: arredondada no olho normal, essa lente é oval no olho astigmático. A diferença no formato faz com que os raios de luz sejam focalizados ao mesmo tempo em pontos variados da retina, levando a distorções visuais.

A presbiopia aparece depois dos 40 anos. Também conhecida como “vista cansada”, é uma tendência natural do envelhecimento. Com a idade e o uso, tanto o cristalino como a musculatura dos nossos olhos perdem elasticidade e flexibilidade, impedindo o processo de acomodação.

Para corrigir essas insuficiências visuais, usamos óculos capazes de compensar as deformações oculares. As lentes dos óculos auxiliam nossos olhos a focalizar a imagem sobre a retina e aí, míopes, hipermétropes, astigmáticos e presbiopes podem enxergar o mundo com mais clareza.

Agradecimentos: Paulo Colonese, Rosicler Neves e Luis Victorino, físicos do Museu da Vida/COC/Fiocruz e Alexandre de Castro Silva, oftalmologista.

Saiba a partir de quando as pessoas começaram a usar óculos

versão para impressão: versão para impressão