Aumentar tamanho da letra  Reverter ao tamanho original Diminuir tamanho da letra  english español

Parece mas não é...

Por: Daniele Souza

Não parece um ursinho de pelúcia?

Não parece um ursinho de pelúcia?

Eles parecem ursos de pelúcia com o pelo grosso e macio, o focinho curto e escuro, a cabeça arredondada e as orelhas grandes e peludas. Típicos da Austrália, na verdade, os coalas não são ursos, mas sim mamíferos marsupiais. Diferentes dos outros mamíferos, são marsupiais porque terminam de se desenvolver fora do útero da mãe, no marsúpio, uma espécie de bolsa que a mãe possui na barriga, para onde migram ainda embriões.

A pelagem grossa do coala o protege das variações de temperatura, servindo, também, como uma capa de chuva. Bem adaptado à vida nas árvores, o coala tem um excelente equilíbrio, embora ele não tenha cauda, como outros marsupiais. Possui também patas curtas e fortes com solas ásperas.

Os gambás, os cangurus  e os diabos-da-tasmânia são outros exemplos conhecidos de marsupiais.

Os coalas podem medir em torno de setenta centímetros, chegando a pesar doze quilos na região sul da Austrália. Se não estiverem num ambiente perturbado pela ocupação humana ou desastres naturais (como incêndios), os coalas podem viver até mais de quinze anos. Entretanto, um coala macho vive em média dez anos, porque eles se arriscam indo buscar comida e andando no chão, expondo-se mais a predadores.
 

Currumbin Wildlife Sanctuary/Austrália

Currumbin Wildlife Sanctuary/Austrália

Não por acaso os coalas têm fama de “paradões”. Com uma dieta composta de folhas de algumas espécies de eucaliptos, que não são ricos em nutrientes, os coalas têm um metabolismo baixo e tendem a ficar parados, para não gastar muita energia e reter alimentos no seu sistema digestivo por longos períodos.  Um coala chega a passar 20 horas, dormindo ou descansando!

Devido a sua alimentação, o coala tem um excelente faro, para identificar alguns tipos de folhas e diferenciar quais são venenosas ou não. Também são criaturas mais notívagas, porque, nas horas mais frias da noite, eles gastam menos energia para andar e procurar comida.

Por volta dos três anos, ocorre a maturidade sexual dos coalas, que se reproduzem de agosto a fevereiro.  Cada gestação dura em torno de 30 dias e gera um filhote de mais ou menos 2cm de comprimento, pesando menos de um grama, sem pelo, cego e sem orelhas. O filhote vai, então, para a bolsa marsupial, onde permanece aproximadamente seis meses, alimentando-se de leite materno (lembre-se que coalas são  mamíferos!) e terminando de se desenvolver. Quando já está "crescido", o filhote começa a sair do marsúpio e a se alimentar de folhas frescas, agarrado às costas da mãe.

Currumbin Wildlife Sanctuary/Austrália

Currumbin Wildlife Sanctuary/Austrália

Embora tenham hábitos solitários, os coalas vivem em sociedade como os humanos e precisam estar em contato com outros coalas, daí a necessidade de grandes áreas florestais, onde esses animais possam viver. Esse é também um dos grandes problemas relacionados aos incêndios e aos desmatamentos, já que os coalas são territoriais e marcam as árvores como se fossem suas casas.


 

Coalas: uma espécie em perigo?

Lone Pine Koala Sanctuary/Austrália

Lone Pine Koala Sanctuary/Austrália

O número de coalas vem diminuindo drasticamente. A fundação australiana AKF, Australian Koala Foundation, estima que existam menos de 100 mil coalas na natureza. Desde a colonização da Austrália, segundo dados da AKF, mais de 80% das áreas com eucalipto foram destruídas, além da prática de caça aos coalas para o uso de sua pelagem.

Nos últimos anos, o maior problema dos coalas tem sido o crescimento urbano, que leva ao desmatamento de várias florestas ( seja para o cultivo de alimentos, construção de casas ou fábricas, entre outros fins ), onde os coalas vivem, ocasionando a perda de habitat e o aumento da competição por comida e território para os coalas restantes.

Por mudanças no ecossistema, muitas árvores de eucalipto ficam doentes e morrem, diminuindo a quantidade de comida disponível para os coalas. Além disso, a Austrália enfrenta longos períodos de seca, que são difíceis para os coalas, também ocasionando incêndios, principalmente no verão.

Quando as florestas são desmatadas ou pegam fogo, muitos coalas fogem e morrem atropelados, ou atacados por cachorros e gatos. Se sobrevivem, sofrem períodos de stress e são afetados por doenças, como conjuntivite. Na natureza, o dingo - uma espécie de cachorro selvagem - é um dos poucos predadores do coala, embora não represente uma grande ameaça aos coalas adultos.

Atualmente, os coalas são encontrados na parte oriental da Austrália, tanto livres na natureza, quanto em santuários criados nos estados de Victoria e Queensland. Entretanto, apesar dos esforços em construir áreas de proteção, a interferência do homem no meio ambiente ainda é o maior problema enfrentado pelos coalas.

Curiosidades
Mais informações

Fonte de informação:

http://www.brasilescola.com/animais/koala.htm

https://www.savethekoala.com/

FERNANDES, Valdir. Zoologia. São Paulo: E.P.U, [1981]. (Currículo de Estudos de Biologia, 4).

Fotos: Daniele Souza

versão para impressão: versão para impressão